Saúde da Mulher : Um Olhar Antroposófico - 09/10/2010


Enriquecedoras e objetivas : assim podem ser definidas as palestras proferidas em 09/10/2010 neste workshop .

Agradecemos muitíssimo à Dra. Márcia Groeler e à Nutricionista Débora Valadão.








Visão sobre a mulherPDFImprimir

Alguns dos integrantes do gepak, grupo responsável pela organização do workshop. / Divulgação

O Grupo de Estudos e Práticas Antroposóficas, o Gepak, promove no dia 9 de outubro, das 8h às 18h, workshop com o tema “Saúde da Mulher: Um olhar antroposófico”. As inscrições estão abertas até o próximo dia 5 no valor de R$ 100 e podem ser feitas através do site www.gepak.com.br. As palestrantes são a ginecologista e obstetra Márcia Groeler e a nutricionista Débora Valadão. O evento acontece no auditório do Palácio Rio Negro, na Avenida Koeler, 255, Centro.
O Gepak existe desde 2007 e realiza encontros semanais que são abertos a todos que tiverem interesse em conhecer o método e suas múltiplas aplicações na vida prática. Segundo a coordenadora do workshop e do grupo de estudos, a homeopata Maria Claudia Nabuco, “o objetivo é a promoção e divulgação da antroposofia nas ações de interesse social e de desenvolvimento de atividades de saúde, visando à melhoria da qualidade de vida de todos que se interessem pelo tema”.
Maria Claudia teve o primeiro contato com a antroposofia há cerca de 25 anos e desde então promove grupos de leitura, seminários, congressos e cursos de formação sobre o tema. “No Estado do Rio não há muitos profissionais ligados a esta visão do homem, por isso, acabei incorporando a filosofia à minha forma de ver o paciente e de orientá-lo”, explica a especialista. A prática é de exclusividade médica, porém, pode ser enriquecida pelo trabalho conjunto, interdisciplinar com outros profissionais, tais como massagistas rítmicos, terapeutas artísticos, euritmistas e psicólogos.
O método surgiu na Europa no início do século XX e hoje está presente em mais de quarenta países. Em Petrópolis, a especialidade que é pouco conhecida pela população em geral, é oferecida por profissionais que possuem formação específica considerada uma extensão da formação médica acadêmica. Diante de uma doença, o médico antroposófico vai, além dos procedimentos convencionais, pesquisar o desenvolvimento emocional do paciente, sua história de vida ou biografia.
A Medicina Antroposófica se baseia na imagem do homem trazida pela antroposofia ou ciência espiritual do filósofo austríaco Rudolf Steiner e considera o homem como constituído por uma parte física (objeto de estudo e tratamento da medicina convencional), vital, emocional (considerada também na medicina psicossomática) e espiritual individual.
A visão ampliada aplicada pela antroposofia repercute também na terapêutica que se utiliza de medicamentos naturais, obtidos dos três reinos da natureza (mineral, vegetal e animal) devidamente preparados e dinamizados, além de outras formas, como por exemplo, terapia artística, eurritmia curativa, massagem rítmica, hidroterapia, fricções, musicoterapia e quirofonética, entre outros.
                                                                                                                                                     (Publicado pela "Tribuna de Petrópolis")